A culinária oriental chega ao Brasil

Quando os primeiros imigrantes japoneses chegaram ao porto de Santos a bordo do vapor Kasato-Maru em 1908, eles saíram de seu pequeno país em busca de trabalho em terrar brasileiras, o que significou a descoberta de um “mundo novo”.  São Paulo é o exemplo perfeito de como essa cultura milenar chegou, ficou e cativou os brasileiros com sua riqueza e tradição: em sua capital homônima, existe um bairro japonês, a Liberdade, onde são comercializados artigos de todo tipo, inclusive alimentícios, que é frequentada assiduamente por paulistanos e moradores de cidades da região.

Atualmente, é comum a presença de restaurantes especializados em culinária japonesa em diversas partes do país, igual aos apreciadores desse sabor que também estão espalhados pelo território brasileiro. Mas, no começo da aventura japonesa no Brasil, a diferença dos sabores em que se baseavam a alimentação dos dois povos, era gritante e o processo de adaptação foi difícil. O arroz era abundante aqui, mas diferente do tipo japonês. Os peixes legumes e verduras eram raros na dieta. A mandioca, milho, bacalhau e charque não o apeteciam, igual ao café, a banha e o toucinho que tinham sabores muito fortes em comparação com o que estavam acostumados a comer.

Quando os imigrantes começaram a dedicar-se à atividade autônoma na lavoura, essa atividade permitiu-lhes o acesso a produtos de mais familiaridade, enriquecendo a variedade, quantidade e qualidade dos produtos que hoje abastecem a mesa do país inteiro, como o caqui, pimenta do reino e chá preto, entre outro quase 30 itens.

No final da Primeira Guerra Mundial, ainda mais japoneses vieram para o Brasil fugindo da crise que assolou o país. Esse aumento fez com que fosse cada vez mais comum conhecer um oriental e seus hábitos e costumes. Nos anos 80, a estranheza do peixe cru nos sushis e sashimis foi substituída pela admiração por pratos leves, quase sem gordura e com temperos moderados. A delicadeza do preparo e apresentação atraiu mais fãs pelos olhos que se entregaram ao provar. A culinária japonesa é um ritual, uma contrapartida a cultura das refeições rápidas que proporciona um prazeroso alívio aos paladares e rotinas ocidentais, a prova de que a comida sustenta o corpo e o espírito.